Warning: Declaration of Bootstrap_Walker_Nav_Menu::start_lvl(&$output, $depth) should be compatible with Walker_Nav_Menu::start_lvl(&$output, $depth = 0, $args = Array) in /home/miradapo/public_html/nataliamenhem/wp-content/themes/stanleywp/functions/function-extras.php on line 61
Arquivo para notícias interessantes - ventilando pensamentosventilando pensamentos

Resista e prospere!

Gostei muito do texto Resista e prospere*, escrito pelo Yancey Strikler, CEO e co-fundador do Kickstarter, plataforma de financiamento coletivo (crowdfunding) dos Estados Unidos. O texto é de novembro de 2015, mas consegui chegar a ele nas minhas leituras durante o recesso de fim de ano.**

“Andar por Nova Iorque e ver um banco em cada esquina é depressivo, mas o reino da monocultura é impermanente. Na medida em que mais pessoas desafiam o status quo, a mudança vai faiscar e se espalhar. A falsidade e a corrupção da busca de lucro acima de tudo são óbvias até para quem a pratica. Uma nova abordagem baseada na diversidade de pensamento e de experiências pode e vai prosperar.”***

#fuckthemonoculture

 

*Tradução livre do título: Resist and thrive
**Também aproveitei o fim de ano para voltar a postar no Medium, neste canal aqui.
***Tradução livre deste trecho: “Walking around NYC and seeing a bank on every corner is depressing, but the monoculture’s reign is impermanent. As more of us challenge the status quo, change will spark and spread. The hollowness and corruption of the pursuit of profit above all is obvious to even those who practice it. A new approach founded on a diversity of thought and experience can and will thrive.”

Novas visões, novas vozes + Social Good

Dica para a manhã de feriado: assistir o seminário New visions, new voices do + Social Good, acontecendo agorinha em Cape Town.

 

O primeiro painel foi sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e a África e vieram boas reflexões. Compartilho as principais abaixo:

– Quando se fala de inovação, estamos falando de inovação para quem? Para que?

– Como executar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável sem deixar ninguém para trás?

– Quando se fala de sustentabilidade estamos falando do futuro. E garantir que exista um futuro sustentável significa educar e incluir os jovens do presente.

O segundo painel foi sobre a Mudança do Cenário da Mídia.

Uma constatação compartilhada é que a África enfrenta um problema de má-distribuição na comunicação: suas histórias não estão saindo de lá, circulando globalmente.

Nwabisa Mayema

Antes do painel sobre as Novas Vozes, pude conhecer a empreendedora sul africana Nwabisa Mayema, que fez uma palestra muito interessante trazendo os paralelos sobre ser uma boa empreendedora e ser um bom ser humano. Nwabisa focou na importância da infância para a construção de relacionamentos respeitosos e de limites saudáveis.

“You don’t learn from business school to be decent and nice, but it’s critical”, ela disse em sua palestra.
[Você não aprende na escola de negócios a ser decente e legal, mas isso é crítico”.]

Vale a pena dar uma olhada no Twitter dela: @NwabisaMayema . 

 

Novas vozes / New voices

Este painel retomou a questão abordada no painel sobre mídia: temos um problema de distribuição e também precisamos saber AONDE estão as vozes que falam da África hoje. Um ponto interessante, que também diz respeito à sociedade brasileira, é que as vozes que precisam ser ouvidas não virão apenas de pessoas que tem status, títulos e já são reconhecidas.

“Só porque alguém não tem status, isso não significa que eles são uma voz que  nós não precisamos ouvir”

A advogada e professora de empreendedorismo social Eliada W Griffin-El, disse que todos nós temos a responsabilidade de sermos os transportadores das jornadas e do sucesso uns dos outros. Ela também questionou se estamos ouvindo às incríveis novas vozes que tem um grande entendimento do mundo atual.

Plataformas para que as pessoas contem as suas histórias também foram indicadas como forma de encontrar e ouvir essas novas vozes.

O evento foi encerrado com o painel sobre Mudanças Climáticas.

 

O investimento social privado e os objetivos de desenvolvimento do milênio

No dia 20/05, próxima quarta-feira, o GIFE vai promover um diálogo sobre como o Investimento Social Privado pode se envolver com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, que serão lançados em setembro/2015, a partir de uma perspectiva de convergência e implementação de ações.

 

Penso que já passou da hora de todos os setores da sociedade pensarem nisso: como posso me envolver para convergir esforços e ações para obtermos resultados positivos para o desenvolvimento de toda a sociedade?

Se ficou interessado, fique ligado: dia 20/05, das 17h às 18h, em um hangout. Se quiser receber o link para acompanhar volte aqui no blog na semana que vem ou cadastre-se aqui.

 

(dica da amiga querida Gezica Valadares)

Sobre o que está funcionando (What’s working, by HuffPost)

Na última sexta, 06/02/15, Ariana Huffington publicou um post sobre a nova iniciativa de seu canal de comunicação (HuffPost), a qual ela já havia anunciado em Davos em janeiro. Partindo de argumentos diversos, que vão desde pesquisa realizada pelo professor e autor Jonah Berger (o qual tive a honra de conhecer quando trabalhei preparando palestrantes para o evento Think with Google São Paulo 2013) até a proximidade existente entre a atual cobertura da mídia e os números da vida real, Ariana apresenta com convicção o What’s Working (em tradução livre, “O que está funcionando”).

Segundo ela, o objetivo da editoria global do HuffPost é aumentar a cobertura do que está funcionando no mundo, indo contra a premissa que guiou o pensamento editorial por anos, segundo Ariana: “se sangra, gera leads” (if it bleeds, it leads).

Em seu post, ela cita o psicólogo de Harvard, Steven Pinker, que em seu livro Better Angels of Our Nature: Why Violence Has Declined (Os anjos bons da nossa natureza: porque a violência diminuiu) diz que vivemos hoje no período menos cruel e violento da história humana.

Ela também cita dados relativos à criminalidade, mostrando que mesmo com um declínio de 40% dos homicídios na década de 1990, as coberturas de assassinato na mídia aumentaram mais de 500%.

Outra pesquisa interessante citada é a de Jonah Berger, que demonstra que boas notícias são mais compartilhadas do que aquelas negativas nas redes sociais.

Gostei dessa iniciativa e espero que possamos ver indicadores positivos em breve.

“Apenas mostrar tragédia, violência, caos – se concentrando no que está quebrado e que não está funcionando – perde muito do que está acontecendo ao nosso redor. E que tal focar em como as pessoas estão respondendo a estes desafios, como eles estão se unindo, mesmo em meio à violência, pobreza e perda? E todas as outras histórias de inovação, criatividade, engenhosidade, compaixão e graça? Se nós, nos meios de comunicação só mostramos o lado escuro, estamos falhando em nossos trabalhos.” (Ariana Huffington)

 ps: o interesse de Ariana em demonstrar outros lados do mesmo cenário e não apenas uma história única, me lembrou da palestra brilhante de Chimamanda Adichie no TED: O perigo de uma história única.